Logomarca Massa Conteúdo Abrir menu mobile
Fechar menu mobile

Blog

Imagem destaque

Brainstorm funciona? Entenda as vantagens e desvantagens

3 de fevereiro de 2023

Sabe aquele ditado de que duas cabeças pensam melhor que uma? Pois bem essa é a premissa do brainstorm.

A técnica utilizada em várias áreas, mas bastante difundida pela publicidade, ganha cada vez mais adeptos mundo afora. Contudo, há quem também torça o nariz para a chamada “tempestade de ideias”.

Boa ou ruim? Vale a pena ou não? A verdade é que o brainstorm, como qualquer outra ferramenta operacional e de gestão, tem suas vantagens e desvantagens.

Cabe a você tirar o melhor proveito do que várias cabeças podem pensar juntas.

O que é o Brainstorm

O termo em inglês tem como tradução para o nosso bom e velho português a expressão “tempestade de ideias”. Ou ainda chuva. O que essa técnica propõe, basicamente, é que as pessoas se reúnam e lancem suas ideias sobre determinada situação.

Criado nos anos 40 pelo publicitário americano Alex Osborn, o brainstorm trazia uma nova maneira de pensar e explorar o potencial do indivíduo de forma coletiva.

Muitas vezes, uma pessoa sozinha não é capaz de criar uma linha de raciocínio que leve a uma proposta para uma proposição apresentada. A autocrítica também pode ser um impeditivo de soluções criativas. Além, claro, de se ter somente uma visão sobre o problema.

Daí a ideia de colocar várias pessoas reunidas em um mesmo local. Juntas e sem limitações ou críticas, serão capazes de colocar à mesa todas as ideias que vierem à mente.

Dessa forma se terá mais propostas, mais saídas e soluções. Bastando somente filtrar as que forem melhores e mais viáveis. Está feito o brainstorm.

Ainda assim, há quem não veja tanta vantagem ou resultado eficiente na técnica. Vamos discutir algumas vantagens e desvantagens. A partir daí, você fica mais seguro em usar ou não o brainstorm na gestão do seu negócio.

Como realizar um brainstorm

O brainstorm precisa de organização. Por isso, ele é dividido em fases. São elas:

  • Preparação
  • Realização
  • Avaliação

Na fase da preparação, é necessário organizar o ambiente onde o brainstorm vai acontecer. Deve ser propício a motivação e interação. Mesa redonda ou almofadas no chão. É preciso que as pessoas se olhem.

A temperatura deve ser agradável. Frio ou calor em excesso tiram a concentração. Evitar uma sala com pouca ou nenhuma acústica pelo mesmo motivo.

Água, café, lanche, se for o caso, ter tudo à mão. É preciso evitar o abre e fecha de porta para não desviar a atenção dos participantes.

Além do ambiente organizado, é preciso definir o tempo de duração do brainstorm bem como o objetivo. É preciso estar claro para todo mundo o que estão fazendo ali.

A quantidade ideal de participantes deve ficar entre 3 e 10 pessoas. De preferência com perfis diferentes para as ideias serem diversas. É ainda preciso eleger quem irá liderar a reunião. Essa pessoa fará anotações, controlará a pauta e fará a ate além de organizar as falas e o tempo de cada uma.

Chegando a fase de realização, já com tudo organizado, é tempo de dar o start. O líder ou moderador repassa o objetivo e as regras. Começa a tempestade de ideias. Finalizado o tempo e tendo a certeza de que todos puderem expor suas opiniões e sugestões, se passa para a próxima fase.

Na avaliação, é hora de escolher quais das ideias apresentadas é a melhor. Nesse sentido, não se pode usar a subjetividade. Por isso é essencial criar um esquema de avaliação por critérios. Todos podem participar.

Coloque em um quadro ou chat board as ideias listadas e os critérios de avalição. Por exemplo, o tempo de execução. O custo. A quantidade de pessoas envolvidas. A dificuldade de implantar e ainda os possíveis resultados. Outros critérios podem ser somados a esse. Dependendo do objetivo.

Pronto. Uma vez escolhida é hora de apresentar ao departamento ou chefia que toma as decisões.

O que funciona no Brainstorm

Misturar muitas pessoas e pedir que saiam dando ideias sem qualquer restrição pode parecer maluquice, mas na verdade tem lá suas vantagens. E muito além do objetivo em si do brainstorm.

  • Equipe mais unida: por meio do brainstorm, é possível gerar mais interatividade e interação entre as pessoas de uma equipe de trabalho ou de várias equipes de trabalho. Há um estreitamento de laços entre as equipes e também seus gestores.
  • Espaço aberto para o novo: pela própria característica do brainstorm de não oferecer limites nem restrições para as ideias, muita coisa boa e nova pode surgir. Em outras situações, essas ideias poderiam nunca vir à tona.
  • Valorização das pessoas: uma das maiores queixas de funcionários é a falta de valorização. Com o brainstorm, a principal assertiva é o espaço de fala. Poder falar e saber estar sendo ouvido permite uma motivação para participar cada vez mais e melhor das soluções necessárias para a empresa.
  • Melhor ambiente de trabalho: como o funcionamento do brainstorm se dá pela comunicação, haverá uma melhoria na qualidade dela para além das reuniões. O funcionamento de tudo melhora porque as pessoas passarão a se entender mais e melhor.
  • Crescimento pessoal e profissional: Em um brainstorm há, de forma natural e saudável, uma certa competição. Cada participante da dinâmica desejará ter a sua ideia como a escolhida. Dessa forma, há um incentivo às pessoas de estudarem. Elas irão se preparar com mais afinco para cada sessão. Suas habilidades e capacidades estarão sendo estimuladas e desenvolvidas.

O que pode não funcionar no brainstorm

O mesmo princípio que faz o brainstorm dar supercerto, também pode fazê-lo não ser tão eficiente assim: várias pessoas reunidas opinando sobre algo.

  • Constrangimento: a técnica do brainstorm coloca uma pessoa falando por vez. Expondo em ordem a sua ideia. Dessa forma, enquanto a ideia está sendo exposta, as próximas pessoas podem entender que o que está sendo apresentado é melhor do que elas têm em mente. Assim para evitar expor uma ideia que já julgaram ruim, elas se calam. Ou se perdem na sua vez de expor.
  • Hipervalorização e desvalorização: é certo que algumas pessoas são mais eloquentes que outras. Falam melhor. Se expressam melhor. Por fim, sabem expor e vender uma ideia, mesmo que ruim, melhor que qualquer um. Por outro lado, há pessoas com ideias realmente excelentes, mas que por excesso de timidez ou falta de jeito em falar em público, não as apresentam bem. Isso pode ser fatal.
  • Conformidade: ou ainda “consenso burro”. Por falta de motivação ou excesso de eloquência de um participante os demais podem se sentir compelidos a aprovar uma ideia sem ao menos tentarem outras.

Como você observou o brainstorm pode sim trazer bons resultados e ser uma excelente ferramenta de interação e motivação. Para tanto é preciso tomar cuidado com as desvantagens que ele pode causar e minimizá-las.

Para mais informações como esse continue com a gente em nossas redes sociais. Vai ser massa ter você com a gente.